08 novembro 2022

Coordenar trabalho híbrido pode ser um desafio

Geral
Coordenar trabalho híbrido pode ser um desafio

Não existe um consenso sobre a melhor maneira de organizar o trabalho remoto, mas pesquisas mostram alguns caminhos que podem ser seguidos pelas empresas

Embora muitas empresas tenham estabelecido o trabalho híbrido em suas rotinas, obrigando alguns dias de trabalho presencial para os seus colaboradores, a realidade é que o retorno ao escritório foi muito diferente daquilo com o que se estava acostumado no período pré-pandemia. Essa nova modalidade está tomando forma e as organizações estão lidando com os seus benefícios e dificuldades.

De certa forma, a pandemia obrigou colaboradores e organizações a encontrarem a melhor forma de fazer este regime funcionar. E um dos principais desafios está em justamente coordenar o trabalho híbrido de maneira inteligente. Essa adaptação é construída de forma conjunta, buscando encontrar mecanismos efetivos tanto para as organizações quanto para os colaboradores.

Uma certeza, porém, é que nenhum dos dois lados voltou igual. Uma pesquisa realizada pela consultoria Gallup trouxe alguns dados a respeito do trabalho híbrido, inclusive nas maneiras de coordená-lo em relação às preferências das equipes, número de dias de trabalho presencial, se a empresa deve estabelecer regras… Veja algumas das principais questões:

– Um salto forçado

Antes da pandemia, menos de um terço dos trabalhadores (42%) viviam um regime de trabalho híbrido. Este índice saltou para 42% em fevereiro de 2022. Além disso, quase 60% dos colaboradores reportam que essa versatilidade faz com que o trabalho híbrido seja o mais buscado por eles. Quando se observa o modelo exclusivamente remoto, ele foi de 8% para 39% em fevereiro de 2022.

Quando são questionados qual modelo preferem, 53% alegam que, se tivessem a oportunidade, escolheriam o modelo híbrido. Trata-se de uma nova forma de relação entre pessoas e organizações, que impacta diretamente os escritórios. Abordamos este tema neste artigo do blog.

– O medo dos diretores

Na percepção da Gallup, a preferência dos colaboradores pelo trabalho híbrido está em linha com a expectativa do corpo diretivo. Boa parte das empresas não se sente confortável com o modelo totalmente digital, com receio de que afete o engajamento, o bem-estar, o absenteísmo aumente, assim como a dificuldade para a manutenção de profissionais.

Nesse sentido, coordenar uma equipe em trabalho híbrido é uma estratégia inteligente do ponto de vista de retenção de talentos. Obrigar modelos totalmente digitais ou presenciais pode afugentar colaboradores, especialmente em profissões no qual a modalidade parece casar muito bem. Por isso, coordenar o trabalho híbrido também deve ser considerado nesse quesito.

– Os motivos para escolher o trabalho híbrido

São 5 as principais razões dos colaboradores para escolherem o trabalho híbrido:

1 – Evitar ter que se submeter ao transporte público ou ao trânsito todos os dias.

2 – Sentem que é um regime melhor para o seu bem-estar.

3 – Aumentam o equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

4 – A possibilidade de se relacionar com os colegas de forma organizada e estruturada, sem interferir na sua capacidade produtiva.

5 – Cresce o engajamento e a sensação de pertencimento à corporação.

– Qual será o futuro?

Como falamos no início do texto, empresas e organizações estão descobrindo a melhor forma de lidar com o trabalho híbrido. Para os colaboradores, há alguns modelos mais defendidos:

– 38% desejariam que entre 2 e 3 dias da semana fossem dedicados ao escritório;

– 29% optariam por menos de 2 dias.

As opções mais radicais – todos os dias ou nenhum dia no escritório – receberam apenas 8% da preferência. Ou seja, para coordenar o trabalho híbrido, estipular entre 2 e 3 dias no escritório parece ser a opção mais eficiente.

Como organizar?

E o que dizem os trabalhadores a respeito desta organização? Basicamente, existe uma divisão 60×40, sendo que o primeiro grupo espera que empresa tome à frente para coordenar o trabalho híbrido com algumas medidas:

– 24% defendem que a empresa estipule um número mínimo de dias no escritório;

– 16% esperam que toda a equipe trabalhe de forma presencial ao mesmo tempo;

– 22% acreditam que os gestores devem garantir que toda a equipe esteja presente de forma conjunta ao menos uma vez na semana.

A expectativa é que a criação desta política aumente a produtividade e considere a interdependência dos setores ou das pessoas. Afinal de contas, ninguém quer ter o seu trabalho interrompido ou atrapalhado por uma percepção de falta de organização.

Em uma transição para o trabalho híbrido, ainda não há consenso sobre a melhor maneira de coordená-lo. Nesse sentido, as empresas podem usar algumas das informações contidas neste texto para prepará-lo, incluindo os espaços físicos para abrigar um volume de colaboradores.

É possível conferir as salas comerciais e lajes corporativas disponíveis nos links abaixo:

World Business

Neo Corporate

JG1698

Posts Relacionados

Work-life balance: saiba a importância de se ter
17 junho 2024

Work-life balance: saiba a importância de se ter

Termo em inglês se refere ao equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal para os colaboradores de empresas,...

LEIA MAIS Seta
Como será o mercado de trabalho em 2030?
10 junho 2024

Como será o mercado de trabalho em 2030?

Listamos 7 características que devem ser importantes para as profissionais atraírem o olhar das empresas, considerando a evolução da...

LEIA MAIS Seta
Como montar um escritório confortável e eficiente?
03 junho 2024

Como montar um escritório confortável e eficiente?

Um escritório confortável deve ser focado na produtividade e no bom rendimento dos colaboradores, sem deixar de lado a...

LEIA MAIS Seta

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você estará de acordo com as condições.